13 de jan de 2011

O ESCRITOR-BRINDE


ilustração de Laz Muniz


Essa é mais uma daquelas histórias de que divulgação e tapinha nas costas enchem barriga, compram remédio, pão e leite e prosperam um futuro que coloca até os filhos na faculdade.

Esse cartum aí em cima foi para ilustrar uma matéria do escritor Pedro Bandeira, no boletim de outubro de 2010 da AEI-LIJ, sobre o descaso das escolas para com os escritores que são convidados a palestrar e acabam passando por situações constrangedoras, como se fosse uma obrigação do escritor fazer tais visitas... de graça!, já que as escolas estão comprando das editoras o seu livro.

Péraí!!! Compram das editoras mas, e o escritor, o que recebe pelo tempo investido, as viagens quilométricas pelo Brasil afora até essas escolas e seus confins, e hotel, banho, alimentação, etc!? Uai, cumpadi! Sai do bolso do escritor, ué!!! Escritor é tudo rico milionário famoso e glamourioso! 


Em um dos momentos do texto, Pedro Bandeira relata uma de suas visitas junto à Marcia Kupstas à uma escola particular, conversando com uma senhora professora: "(...) havia organizado uma festa para as adolescentes da escola e havia convidado um atorzinho da Globo, desses que estouram em determinada novela e são totalmente esquecidos em seguida, para dançar uma valsa com a “sortuda” aluninha sorteada para realizar este “sonho de Cinderela”. E disse-nos a dita senhora que o evento fora um sucesso e que o tal atorzinho havia cobrado “apenas”... 3 mil dólares de cachê!"

E quem disse que escritor precisa de dinheiro!? Escritor é igual ilustrador, vive de luz e amor à arte!

do blog de Laz Muniz

Nenhum comentário:

Postar um comentário